BR017
Serra dos Carajás


Country/territory: Brazil

IBA Criteria met: A1, A3 (2008)
For more information about IBA criteria please click here

Area: 1,223,610 ha

Protection status:

SAVE Brasil
Most recent IBA monitoring assessment
Year of assessment Threat score (pressure) Condition score (state) Action score (response)
2008 low not assessed not assessed
For more information about IBA monitoring please click here


Site description
A IBA compreende o conjunto de unidades de conservação composto pela Reserva Biológica do Tapirapé e pelas Florestas Nacionais de Carajás, de Itacaiúnas e Tapirapé-Aquiri, acrescido da Terra Indígena Xikrin do Rio Cateté, todas localizadas no interflúvio Tocantins–Xingu, no centro-leste do Pará. A Serra dos Carajás possui a maior mina de ferro conhecida no mundo, bem como grandes jazidas de manganês, cobre e ouro, exploradas pela Companhia Vale. A Reserva Biológica do Tapirapé, a única na categoria de proteção integral, foi criada com apoio dessa empresa e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) Áreas serranas estendemse até pouco acima dos 800 m de altitude, mas a IBA abrange principalmente terrenos na faixa entre os 200 e os 400 m A vegetação é constituída por florestas ombrófilas, tanto densas quanto abertas, e por um tipo de formação arbustiva baixa que ocorre nos topos das montanhas, conhecida como “canga”. Florestas com presença marcante de cipós surgem em áreas escarpadas, por exemplo, na F. N. do Tapirapé-Aquiri Nas formações florestais submontanas destacamse a emergente Bertholetia excelsa e outras árvores de porte médio, como as dos gêneros Vochysia e Erisma O clima é classificado como tropical chuvoso, mas há um período de estiagem entre os meses de maio e agosto.

Key biodiversity
A região da Serra dos Carajás abriga uma das avifaunas mais ricas já encontradas no país, com 575 espécies registradas Embora a grande maioria seja de espécies florestais amazônicas, a região se localiza em uma zona de transição com o Cerrado, de modo que elementos típicos desse bioma também são vistos na área, como Phaethornis nattereri (besourão-de-sobre-amarelo). Da mesma forma, o desmatamento no entorno cria hábitats propícios a uma série de espécies de áreas abertas. Alguns tabocais esparsos permitem a ocorrência de espécies típicas desse ambiente, incluindo Simoxenops ucayale, que tem na região o limite oriental de sua distribuição conhecida. As espécies Lepidothrix iris (cabeça-de-prata) e Xipholena lamellipenis (anambé-de-rabo-branco) estão entre os endemismos da sub-região “Pará” presentes nas zonas florestadas, importantes também para grandes falconiformes, como Harpia harpyja (gavião-real) e Morphnus guianensis (uiraçu-falso), e para outras espécies ainda pouco conhecidas, como Taeniotriccus andrei (maria-bonita) e Synallaxis cherriei (puruchém) A região abriga uma pequena população de Anodorhynchus hyacinthinus (arara-azul-grande)


Recommended citation
BirdLife International (2019) Important Bird Areas factsheet: Serra dos Carajás. Downloaded from http://www.birdlife.org on 20/05/2019.