BR076
Saltos das Andorinhas e de Dardanelos


Country/territory: Brazil

IBA Criteria met: A4ii (2008)
For more information about IBA criteria please click here

Area: 740 ha

Protection status:

SAVE Brasil
Most recent IBA monitoring assessment
Year of assessment Threat score (pressure) Condition score (state) Action score (response)
2008 very high not assessed not assessed
For more information about IBA monitoring please click here


Site description
Essa área localizase na borda norte da chamada Chapada de Dardanelos, marcada por uma queda abrupta no relevo na transição para a Depressão do Norte de Mato Grosso Corredeiras e quedas d’água, como os Saltos de Dardanelos e das Andorinhas, formamse no trecho do rio Aripuanã que percorre a área. Tais formações, situadas no médio curso do rio e junto à cidade de Aripuanã, possuem grande beleza cênica e atraem turistas à região. O Salto de Dardanelos é formado por cinco degraus em seqüência e uma queda livre, que totalizam 130 m de altura A vegetação original nas margens do rio Aripuanã é a floresta ombrófila submontana, mas há poucos remanescentes nas proximidades da cidade, onde é grande a alteração antrópica. Áreas florestadas existem apenas na margem esquerda do rio. Os limites da IBA abrangem os saltos acima e a vegetação preservada à sua volta.

Key biodiversity
Duas espécies de andorinhões congregamse nos saltos: Streptoprocne zonaris (taperuçu-de-coleira-branca) e Cypseloides senex (taperuçu-velho). Ambos utilizam fendas e buracos nas rochas para reprodução e repouso, tanto próximo quanto logo atrás das cortinas de água das cachoeiras de menor volume. A presença de centenas de milhares de S. zonaris no Salto de Dardanelos foi relatada já em meados da década de 1970. Um censo realizado em novembro de 2004 estimou em cerca de 1,5 milhões o número desses andorinhões, o que, de acordo com a literatura, é a maior concentração de espécies da família Apodidae conhecida no Brasil. Logo acima das quedas formamse pequenas lagoas nos afloramentos rochosos adjacentes às corredeiras, que fornecem alimento farto a várias espécies de aves migratórias que vêm da América do Norte e passam pela região, como Pluvialis dominica (batuiruçu), Tringa solitaria (maçarico-solitário), T. melanoleuca (maçarico-grande-de-perna-amarela) e Actitis macularius (maçarico-pintado). O trecho de florestas preservadas na margem esquerda do rio Aripuanã abriga vários táxons endêmicos do sul amazônico, inclusive algunas restritos ao interflúvio dos rios Madeira e Tapajós, como Rhegmatorhina hoffmannsi (mãe-de-taoca-papuda).


Recommended citation
BirdLife International (2019) Important Bird Areas factsheet: Saltos das Andorinhas e de Dardanelos. Downloaded from http://www.birdlife.org on 15/11/2019.