BR030
Reentrâncias Maranhenses / Paraenses


Country/territory: Brazil

IBA Criteria met: A2, A4i, A4iii (2008)
For more information about IBA criteria please click here

Area: 1,134,852 ha

Protection status:

SAVE Brasil
Most recent IBA monitoring assessment
Year of assessment Threat score (pressure) Condition score (state) Action score (response)
2008 medium not assessed not assessed
For more information about IBA monitoring please click here


Site description
Dispostas ao longo de uma extensa planície, as reentrâncias costeiras ocidentais do Maranhão e da área litorânea adjacente do Pará são formadas por uma grande variedade de ambientes sob influência fluvial e marinha. Nesse complexo sistema, grandes extensões de manguezais intercalamse com pontões arenosos. A vegetação de mangue é bem desenvolvida, com algumas espécies atingindo 30 m de altura. Há também praias de areias brancas, dunas costeiras, falésias rochosas marinhas, lagos, restingas e brejos herbáceos de água doce, dispostos entre os diversos estuários e enseadas, em que se destacam algumas baías de grande porte, como Cumã, Gurupi, Maracanã e Turiaçú. O clima da região é quente e úmido, com temperaturas médias variando entre 25–26ºC e pluviosidade anual de 2.400 a 2.900 mm. Existem registros do ameaçado peixe-boi-marinho (Trichechus manatus) na área.

Key biodiversity
As reentrâncias maranhenses e paraenses constituem uma das mais importantes áreas de concentração de aves limícolas migratórias em todo o país. Em virtude dessa importância, a área foi reconhecida como sítio RAMSAR e incluída na Rede Hemisférica de Reservas para Aves Limícolas. Provenientes principalmente do hemisfério norte, são diversas as espécies migratórias que utilizam a área para alimentação e repouso. Passam pela região, por exemplo, aves que se dirigem em migração até a Lagoa do Peixe (IBA RS06), outro importante local de concentração de aves limícolas. Algumas espécies concentramse em números que ultrapassam 1% de suas populações biogeográficas. Há congregações importantes de Limnodromus griseus (maçarico-de-costas-brancas) e Numenius phaeopus (maçarico-galego) no município de Cururupu (Maranhão); de Calidris canutus (maçarico-de-papo-vermelho) em Alcântara (Maranhão), e de Calidris pusilla (maçarico-rasteirinho) em Viseu (Pará). Aves aquáticas também formam grandes concentrações na região, como Eudocimus ruber (guará). Contagens realizadas na década de 1990 permitiram detectar duas localidades com cerca de 500 indivíduos cada. Outra espécie que se destaca na área é Buteogallus aequinoctialis (caranguejeiro), ave de rapina especializada em manguezais.


Recommended citation
BirdLife International (2020) Important Bird Areas factsheet: Reentrâncias Maranhenses / Paraenses. Downloaded from http://www.birdlife.org on 27/02/2020.