BR060
Parque Nacional da Serra do Divisor


Year of compilation: 2008

Site description
A Serra do Divisor, que deu origem ao nome do parque, é o único maciço montanhoso existente no Estado do Acre, dividindo as bacias do médio rio Ucayali, no Peru, e do alto rio Juruá, no Brasil O Juruá é o principal rio do parque A pluviosidade local é elevada, atingindo de 750 a 580 mm anuais, e a temperatura média oscila entre 23,5ºC e 25,5ºC Grande parte da área é coberta por floresta ombrófila aberta caracterizada pela presença marcante de palmeiras de diversas espécies, como Mauritia flexuosa, Phytelephas macrocarpa, Oenocarpus bataua e Iriartea deltoidea. Algumas árvores emergentes sobressaemse nessa fitofisionomia e chegam a atingir 60 m de altura, como é o caso de Pithecelobium racemosum. Há também florestas com características aluviais, por exemplo, próximo aos rios Môa, Juruá-Mirim e Ouro Preto. Em menor proporção, a floresta ombrófila densa ocupa cerca de 22% da área do parque, onde se destacam Pouteria lauriforme, Prieurella prieurii, Inga alba e Sloanea grandis. Os estudos realizados para a elaboração do plano de manejo do parque revelaram, além de uma rica avifauna, a presença de mais de 100 espécies de mamíferos e outro tanto de anfíbios. Só de primatas foram 14 táxons registrados, incluindo Cacajao calvus, rubicundus, Saguinus imperator subgrisescens, Callimico goeldii, Ateles chamek e Lagothrix poeppigii.

Key biodiversity
Um total de 490 espécies de aves já foi registrado no Parque Nacional da Serra do Divisor, incluindo quatro espécies representativas da EBA068 (Baixadas do Sudeste Peruano): Eubucco tucinkae (capitão-de-colar-amarelo), Conioptilon mcilhennyi (anambé-de-cara-preta), Lophotriccus eulophotes (maria-topetuda) e Percnostola lophotes (formigueiro-do-bambu). O parque e a Estação Ecológica do Rio Acre (AC/AM01) são as únicas áreas do país onde há registros recentes de Nannopsittaca dachilleae (periquito-da-amazônia), psitacídeo quase ameaçada e nacionalmente restrito ao Estado do Acre. Essas unidades de conservação também são as duas únicas da categoria de proteção integral a abrigar a ararinha ameaçada Primolius couloni, relativamente comum no parque nacional Outra espécie quase ameaçada com poucos registros no Brasil é Conothraupis speculigera (tiê-preto-e-branco). Pouco se sabe sobre a biologia dessa espécie, mas acreditase que empreenda movimentos migratórios no âmbito da Amazônia ocidental. Outras espécies raras em território nacional presentes na área são Micrastur buckleyi (falcão-de-buckley), Cercomacra manu (chororó-de-manu), Automolus melanopezus (barranqueiro-escuro) e Cacicus oseryi (japu-de-capacete). Synallaxis cherriei (puruchém) foi observado nas imediações do parque e provavelmente ocorre também em seu interior. Recentemente descrito à ciência, Thamnophilus divisorius (choca-do-acre) tem na área a sua localidade-tipo.

Pressure/threats to key biodiversity
Mais da metade da área do P. N. da Serra do Divisor está com a situação fundiária regularizada. Entretanto, são muitas as atividades ilegais praticadas no parque e em seu entorno, como exploração mineral, extração de produtos vegetais, atividades agropecuárias e queimadas. Madeireiros ilegais estão presentes na unidade de conservação, tanto brasileiros quanto peruanos, que atuam também em áreas fora do parque, contribuindo assim para o desmatamento. As florestas de várzea, principalmente ao longo dos rios maiores, são as mais atingidas pelos desmatamentos e pela presença humana. A madeira extraída nesses pontos é processada no próprio local e comercializada em cidades próximas. A caça ilegal e o tráfico de fauna foram recentemente identificados na região, através da apreensão de carne e animais silvestres.


Recommended citation
BirdLife International (2020) Important Bird Areas factsheet: Parque Nacional da Serra do Divisor. Downloaded from http://www.birdlife.org on 20/09/2020.