BR094
Matas de Conde e Baixios


Year of compilation: 2005

Site description
Situada sobre os tabuleiros costeiros do extremo norte do litoral baiano, essa área compreende um conjunto de remanescentes de mata semidecidual e ombrófila, cuja configuração atual resulta das atividades de monocultura (coco e laranja), silvicultura (pínus e eucalipto), pecuária e, em menor grau, agricultura de subsistência na região. Entre os remanescentes, destacam-se por seu tamanho a Reserva do Bú e a Mata do Bonito, que juntas somam cerca de 1.200 ha. A primeira foi apontada na década de 1990 como o mais importante remanescente florestal do litoral norte da Bahia, segundo critérios botânicos. Há outros fragmentos florestais importantes a oeste e ao norte dessas áreas, mais distantes da costa, a maioria de matas semideciduais. O clima da região é úmido a sub-úmido, com médias anuais de temperatura e pluviosidade em torno de 25°C e 1.400mm, respectivamente.

Key biodiversity
Apesar do estado de fragmentação das florestas, a região ainda abriga populações importantes de Pyriglena atra (papataoca- da-bahia), pássaro ameaçado restrito à faixa costeira entre o rio Paraguaçu, no Recôncavo baiano, e Areia Branca, em Sergipe. Essa espécie, o cotingídeo Xipholena atropurpurea (anambé-deasa- branca) e o periquito Touit surdus (apuim-de-cauda-amarela) estão entre as 79 espécies registradas na Reserva do Bú em um recente levantamento. Não há outras informações divulgadas sobre as aves da região, mas visitas sistemáticas realizadas por pesquisadores da Associação Baiana para Conservação dos Recursos Naturais (ABCRN) a partir de junho de 2004 resultaram no mapeamento de cerca de oito novos pontos de ocorrência de P. atra, distribuídos a oeste de Conde, na região de Altamira e a oeste e norte de Jandaíra, próximo ao rio Real, representando os registros mais setentrionais da espécie em território baiano.

Pressure/threats to key biodiversity
A supressão ou exploração seletiva das matas remanescentes, para implantação de atividades agropecuárias e venda ilegal de madeira, aumentam o grau de fragmentação florestal na região. A Reserva do Bú, em particular, vem sendo explorada ilegalmente nos últimos anos para retirada de madeira, a despeito da fiscalização por parte dos proprietários. A caça ainda é uma atividade ilegal freqüente e em algumas áreas ocorre a captura de aves (como Aratinga auricapillus) para o comércio de fauna silvestre. O fogo utilizado no manejo e corte das plantações de pínus às vezes invade os fragmentos florestais. Por fim, a construção da Linha Verde (rodovia BA-99), que interliga os estados da Bahia e Sergipe, vem sendo o vetor de um novo ciclo de ocupação e exploração em todo o litoral norte baiano.


Recommended citation
BirdLife International (2020) Important Bird Areas factsheet: Matas de Conde e Baixios. Downloaded from http://www.birdlife.org on 26/09/2020.