BR004
Campinas e Várzeas do Rio Branco


Country/territory: Brazil

IBA Criteria met: A1, A2, A3 (2008)
For more information about IBA criteria please click here

Area: 3,859,627 ha

Protection status:

SAVE Brasil
Most recent IBA monitoring assessment
Year of assessment Threat score (pressure) Condition score (state) Action score (response)
2008 low not assessed not assessed
For more information about IBA monitoring please click here


Site description
Essa área é composta pela várzea do rio Branco e pelas formações de campinas/campinaranas que se estendem desde a sua foz com o rio Negro, ao sul, até o conjunto de áreas protegidas do Complexo Caracaraí, ao norte. Juntas, as áreas de proteção integral desse complexo somam mais de 900 mil hectares. O Parque Nacional da Serra da Mocidade foi criado em terras doadas pelo Ministério do Exército ao IBAMA, ao passo que a criação do Parque Nacional do Viruá se deu em razão da baixa fertilidade do solo da região, que inviabiliza a instalação de assentamentos rurais. Toda a área caracteriza-se pela existência de planícies aluviais sazonalmente alagáveis da bacia do rio Branco e por extensões de terra firme assentada sobre rochas de origem pré-cambriana. A vegetação é bastante heterogênea em virtude da variação topográfica. Há áreas de floresta ombrófila densa, especialmente na porção noroeste da IBA, onde está localizado o P. N. da Serra da Mocidade, assim como zonas de transição e campinaranas florestadas ou gramíneo-lenhosas, sendo essas últimas as formações predominantes na região.

Key biodiversity
Em todo o Complexo Caracaraí já foram registradas mais de 300 espécies de aves e acreditase que mais de 400 possam habitar a região As várzeas preservadas do rio Branco e suas ilhas são importantes sítios para a conservação de espécies tipicamente associadas a esses ambientes, como é o caso de Stigmatura napensis (papa-moscas-dosertão), Synallaxis propinqua (joão-de-barriga-branca), Cercomacra carbonaria (chororó-do-rio-branco) e Myrmotherula klagesi (choquinha-do-tapajós) Cercomacra carbonaria ocorre em praticamente toda a extensão do rio Branco tendo na região o seu limite meridional de ocorrência. Já Myrmotherula klagesi está presente no extremo norte de sua distribuição, mas possui uma população numerosa na área Espécie normalmente associada a manguezais, Conirostrum bicolor (figuinha-do-mangue) ocorre aqui em florestas ribeirinhas ao longo do rio Branco As campinas abrigam elementos próprios, como Dolospingus fringilloides (papa-capim-de-coleira), Hemitriccus inornatus (maria-da-campina) e Myrmeciza disjuncta (formigueiro-de-yapacana), todas consideradas de distribuição restrita. Essa última, encontrada no Brasil primeiramente no Parque Nacional do Jaú, tem no P. N. do Viruá apenas a sua segunda área de ocorrência conhecida no país A Serra da Mocidade é ainda completamente desconhecida sob o ponto de vista ornitológico e apresenta grande potencial para a descoberta de novas espécies de aves.


Recommended citation
BirdLife International (2019) Important Bird Areas factsheet: Campinas e Várzeas do Rio Branco. Downloaded from http://www.birdlife.org on 13/11/2019.