BR022
Várzeas do Médio Rio Amazonas


Year of compilation: 2008

Site description
Essa área estendese desde a foz do rio Negro até a foz do rio Trombetas, abrangendo as várzeas ao longo do médio curso do rio Amazonas. Apesar de ambas as margens do rio apresentarem trechos alterados, ainda há, em toda a sua extensão, fragmentos de hábitat importantes para a conservação das espécies-alvo, assim como trechos bem preservados. Formações vegetais pioneiras são mais comuns ao longo da margem esquerda, assim como os contatos entre florestas e áreas savanizadas, enquanto no lado oposto há mais áreas de floresta ombrófila densa aluvial ou de terras baixas. No trecho compreendido pela IBA estão localizadas a foz dos rios Madeira, Maués e Mamuru, à margem direita, e dos rios Negro, Urubu e Uatumã, à margem esquerda.

Key biodiversity
De acordo com estudos ornitológicos recentes, as várzeas ao longo dos rios Amazonas e Solimões apresentam uma diferenciação geográfica, o que sugere a existência de "zonas de endemismo" para aves típicas desse ambiente. Esses estudos mostram que aparentemente há uma substituição de espécies de um mesmo gênero nas várzeas do rio Amazonas, a partir da foz do rio Negro. Esse é o caso, por exemplo, de Galbula galbula (ariramba-de-cauda-verde), presente a jusante, e G. tombacea (ariramba-de-barba-branca), presente a montante da foz do rio Negro. Outras espécies só são detectadas a partir da foz do rio Negro e suas distribuições na várzea aparentemente não se estendem rio Amazonas acima, como Sakesphorus luctuosus (choca-d'água), Hylophilus pectoralis (vite-vite-de-cabeça-cinza) e Cranioleuca muelleri (joão-escamoso). Porém, a única espécie inteiramente restrita às várzeas entre os rios Negro e Trombetas é Picumnus varzeae (pica-pau-anão-da-várzea) que, assim como C. muelleri e Myrmotherula klagesi (choquinha-do-tapajós), é exclusivo de ecossistemas de várzea. Há na região uma das maiores populações de M. klagesi. É importante destacar que ainda são escassos os estudos ornitológicos nas várzeas do complexo Solimões-Amazonas, o que levanta a possibilidade de existirem táxons ainda desconhecidos na região, especialmente tendo em vista que as pesquisas recentes estão revelando uma série de padrões inéditos e extensões de distribuição de aves.

Pressure/threats to key biodiversity
A avifauna especializada em várzeas parece ser tolerante a pequenas alterações ambientais, mas ainda são poucas as informações disponíveis para permitir uma avaliação consistente do impacto da ocupação humana sobre a avifauna desse ambiente. Além das matas de várzea propriamente ditas, vários outros hábitats encontrados ao longo do rio Amazonas, incluindo ilhas fluviais e formações vegetais sucessionais, também são importantes ambientes a serem preservados. As várzeas do médio rio Amazonas já apresentam um quadro antigo de utilização e ocupação, não só pela expansão de grandes centros urbanos, mas também porque os solos nas margens dos rios são férteis e favorecem atividades agropecuárias. Muitas áreas estão sendo usadas para o cultivo de hortifrutigranjeiros, visando ao abastecimento da cidade de Manaus. Projetos de aproveitamento hidrelétrico em grandes afluentes do Amazonas, como o Madeira, podem alterar a dinâmica hidrológica do rio.


Recommended citation
BirdLife International (2020) Important Bird Areas factsheet: Várzeas do Médio Rio Amazonas. Downloaded from http://www.birdlife.org on 29/10/2020.