BR208
Área de Proteção Ambiental de Guaratuba


Year of compilation: 2005

Site description
Essa área abrange uma vasta porção do litoral sul do Paraná e engloba um conjunto de serras costeiras incluindo as serras da Prata, da Igreja, do Engenho, do Cubatão, Guaraparim, Grande, Araraquara e Canavieiras e as terras baixas situadas entre o sopé dessas elevações e a baía de Guaratuba, bem como trechos de planície que se estendem ao longo da margem meridional da baía. A noroeste, a área confronta com a Serra do Marumbi (PR06), dali estendendo-se ao sul até o rio Cubatão, que a delimita a sudoeste. A área corresponde a uma extensa parte da APA Estadual de Guaratuba e envolve ainda três unidades de conservação de proteção integral existentes na região. Devido às grandes variações de altitude, estão representadas diferentes formações da floresta ombrófila densa, como florestas de terras baixas, submontanas, montanas e alto-montanas. Nas baixadas, em terrenos inundáveis, outros tipos de vegetação são encontrados, em geral associados aos setores mais interiores da baía de Guaratuba e aos trechos inferiores dos rios que nela deságuam. Esses ambientes incluem os manguezais, os caxetais (áreas dominadas pela caxeta, Tabebuia cassinoides), os guanandizais (formações de guanandi, Calophyllum brasiliense), os ariticunzais (formações de ariticum-do-brejo, Annona glabra) e os brejos, estes formados principalmente por grupamentos de piri (Schoenoplectus californicus), cebolama (Crinum salsum), capim-pernambuco (Panicum sp.) e capim-serra (Cladium mariscus). O clima local sofre variação conforme a altitude, estando as temperaturas médias em torno de 21ºC na baixada e 11ºC nas partes mais altas. Os rios da região têm importância fundamental para o abastecimento dos centros urbanos próximos.

Key biodiversity
A área abriga a maior população conhecida de Stymphalornis acutirostris (bicudinho- do-brejo), que se distribui ao longo da orla da porção interna da baía de Guaratuba e nos trechos médio e inferior dos rios que para ela confluem, a leste até Boguaçu. Das matas de baixada ao longo do rio São João e no entorno da lagoa do Parado provêm os registros mais setentrionais de Hemitriccus kaempferi (mariacatarinense), espécie criticamente ameaçada com presença confirmada em apenas outras duas IBAs, ambas em Santa Catarina. O raro socó Tigrisoma fasciatum fasciatum (socó-boi-escuro) foi observado nas cabeceiras do rio Cubatãozinho, a oeste da Serra da Prata. O registro de Jacamaralcyon tridactyla (cuitelão) para a região, por outro lado, não foi confirmado na mais recente revisão sobre a distribuição geográfica da espécie no Paraná. A considerável heterogeneidade ambiental é responsável pela existência de uma combinação bastante singular de espécies na área, que inclui aves características de ambientes palustres (e.g., Phleocryptes melanops e Tachuris rubrigastra), de matas de baixada (como o ameaçado Amazona brasiliensis e Chloroceryle inda) e de altitude (Scytalopus speluncae e Poospiza thoracica, entre outros).

Pressure/threats to key biodiversity
A caça, a especulação imobiliária e a contaminação das águas da baía de Guaratuba pelo despejo de efluentes domésticos e pelo aporte de resíduos de agrotóxicos são alguns dos problemas ambientais listados para a região. Potenciais vetores de expansão urbana em direção às encostas do recentemente criado Parque Nacional Saint-Hilaire/Lange foram identificados nos fundos dos principais balneários e ao longo das rodovias da região de Matinhos e Guaratuba. A exploração ilegal do palmito (Euterpe edulis) e a expansão das plantações de banana e arroz representam impactos pontualmente importantes; um remanescente de mata de planície onde H. kaempferi era comum foi eliminado recentemente para dar lugar a um bananal. Nos últimos anos, a retirada de areia do leito dos rios e a contaminação biológica decorrente da invasão de capins exóticos (e.g., Urochloa arrecta) têm contribuído significativamente para a descaracterização de ambientes exclusivos das baixadas. A lagoa do Parado e entorno, importante área de ocorrência de S. acutirostris e H. kaempferi, ficaram fora dos limites do P. N. Saint-Hilaire/Lange; uma proposta de ampliação dos limites dessa unidade de conservação, visando à incorporação de áreas como a lagoa do Parado e os manguezais entre os rios União e dos Meros, foi recentemente elaborada.


Recommended citation
BirdLife International (2020) Important Bird Areas factsheet: Área de Proteção Ambiental de Guaratuba. Downloaded from http://www.birdlife.org on 30/05/2020.