BR042
Chapada do Araripe


Year of compilation: 2005

Site description
Localizada na fronteira dos Estados do Ceará, Pernambuco e Piauí, a Chapada do Araripe reúne carrasco, cerrado e cerradão como formações vegetais predominantes em seu platô. Uma floresta úmida ocorre na borda dos penhascos à nordeste e encosta abaixo, onde a precipitação média anual é de 1.000 mm. A concentração dos recursos hídricos nessa parte da chapada, conhecida como vale do Cariri, sustenta uma paisagem verdejante que contrasta com o entorno semiárido. No restante da chapada, a quantidade de chuvas varia entre 600 e 700 mm anuais e o clima é quente e semiárido, com temperaturas médias mensais oscilando entre 24 e 26ºC. Entre as plantas da região, o pequizeiro (Caryocar coriaceum) se destaca por seu relevante significado econômico e social. Outras plantas conspícuas incluem Parkia platycephala (faveira ou visgueiro) no cerrado e cerradão, e Hymenaea courbaril (jatobá) e Tabebuia serratifolia (paud’arco ou ipêamarelo) na mata úmida. A integri dade da floresta no alto da chapada devese, em parte, à existência da Floresta Nacional do Araripe, decretada em 1946, a primeira unidade de conservação de sua categoria no País. As maiores cidades da região são Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha, distando cerca de 400 km de Fortaleza e 500 km de Recife. A IBA inclui somente a área da Floresta Nacional e adjacências, abrangendo as zonas de encosta onde é encontrado Antilophia bokermanni (soldadinho-do-araripe), a espécie de ave mais significativa e emblemática da Chapada do Araripe.

Key biodiversity
Xiphocolaptes falcirostris (arapaçudonordeste) foi coletado em Juazeiro do Norte no início do século passado, mas não tem sido encontrado deste então. Estudos subseqüentes desenvolvidos desde 1976 confirmaram 241 espécies para a região. A descrição de Antilophia bokermanni (soldadinhodoararipe) na Chapada do Araripe, em 1998, foi considerada uma das mais surpreendentes descobertas ornitológicas recentes. A área de ocorrência dessa espécie ameaçada abrange apenas as matas úmidas e ciliares das encostas da chapada nos municípios de Crato, Barbalha e Missão Velha. Merece destaque, ainda, a ocorrência do morfo ‘maranhaoensis’ de Phaethornis nattereri, táxon que carece de estudos taxonômicos adicionais.

Pressure/threats to key biodiversity
O desenvolvimento das cidades cearenses de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha ocorreu às custas da exploração dos mananciais do vale do Cariri, que anteriormente deviam abrigar Antilophia bokermanni. Um fenômeno políticoreligioso, desencadeado no início do século XX, propiciou um rápido crescimento econômico e demográfico da região, resultando na sobreexplotação dos recursos naturais. As três cidades somam hoje mais de um milhão de habitantes, com aumento populacional sazonal de 50% devido às romarias. O tráfico de animais silvestres praticamente exterminou na região o pintassilgo donordeste (Carduelis yarrellii) e a maracanã doburiti (Primolius maracana), enquanto a destruição das matas ciliares parece ser o motivo do desaparecimento de Xiphocolaptes falcirostris. A caça tem afetado as populações da jacucaca (Penelope jacucaca) e do zabelê (Crypturellus noctivagus). Na época seca, a região tornase suscetível a incêndios.


Recommended citation
BirdLife International (2022) Important Bird Areas factsheet: Chapada do Araripe. Downloaded from http://www.birdlife.org on 02/12/2022.